Desabafo de um profissional do esporte…

13 01 2011

Caro leitor,

Retomei o ritmo de trabalho há alguns dias, porém esperei o momento mais adequado para publicar esse post.

Na última semana de novembro, um contato que possuo na Europa, comentou que haveria grande chance de um importante jogador brasileiro retornar ao futebol nacional e que esse retorno traria muito impacto. Obviamente acreditei nessa fonte, porém fiquei tentando imaginar qual seria o clube que teria condições para realizar esse repatriamento. Confesso que dentre as opções que encontrei, descartei completamente qualquer clube do Rio de Janeiro, por conta dos problemas financeiros e amadorismo gerencial.

O fato é que a informação que recebi se confirmou e para a minha surpresa, nenhuma das opções que havia pensado estava concorrendo. Os dias foram passando, particularmente não agüentava mais falar e ouvir coisas sobre esse assunto, o leilão promovido pelo empresário do atleta foi me causando estranheza, as aparições na mídia, a tal da coletiva de imprensa no Copacabana Palace que movimentou muitas pessoas e que não apresentou nada de concreto…

Quando escolhi esse título para meu post, pensei, repensei, mas precisei expor o meu desabafo com coisas que acontecem no esporte brasileiro e que realmente minam a todos os profissionais capacitados e que desenvolvem o esporte com seriedade e respeito.

Não tive a grata oportunidade de acompanhar ao vivo a apresentação do Ronaldo Gaúcho no Flamengo, mas quando cheguei ao escritório e conversei com alguns pares, soube que deixou muito a desejar. Mesmo assim, procurei tirar as minhas próprias conclusões e assim assisti aos vídeos da cobertura. Portão derrubado pela torcida, polícia agredindo e se defendendo, inúmeras pessoas no local onde o atleta seria apresentado, show de pagode, mulheres do funk, coletiva de imprensa com perguntas selecionadas antecipadamente e o pior: Vagner Love ao lado do Ronaldo Gaucho?

O meu desabafo se dá ao ponto em que olho para minha equipe e lembro quanto tempo e dinheiro levamos para criar estratégias de marketing, ações criativas, relacionamentos estratégicos, produção de eventos, tanto para atletas ou clubes, buscado sempre fazer algo diferente e especial e ai nos deparamos com tudo isso…..

Pense você, caso tenha um negócio ou queira criar um. Você colocaria seu familiar para cuidar do seu dinheiro? Cuidar dos seus relacionamentos? Falar em seu nome, apenas porque é seu irmão? Dizer por ai que você está negociando uma parceria que não existe?

Vou repetir um questionamento que faço aos nossos clientes atletas: “Até quando vocês aceitarão ser tratados como meras marionetes nas mãos de piratas?” Poxa, um atleta de nível mundial, que já passou pelos melhores clubes do mundo aceita ser recepcionado dessa maneira? Ahhhhh, mas o tal do seu empresário está feliz da vida e de barriga cheia, afinal o seu escritório normalmente é uma churrascaria.

Tire suas próprias conclusões sobre a apresentação do atleta no Flamengo e no Milan:





Boas Festas!!!

21 12 2010





Queda nas receitas de bilheteira do Brasileirão 2010

7 12 2010

O campeonato Brasileiro de futebol de 2010 foi marcado não só pela vitória do Fluminense, mas também pelo decréscimo nas receitas de bilheteira dos clubes. Segundo a consultora Crowe Horwath RCS, o principal factor para a queda do público nos estádios e consequentemente das receitas de bilheteira, foram as obras de remodelação que estão em curso nos estádios brasileiros, tendo em vista o Mundial FIFA de 2014.

Outro dos factores para o decréscimo de público nos estádios foi a má prestação de alguns dos maiores clubes, como foi o caso do Flamengo. Ainda assim nos últimos anos a média de público/receitas obtidas nos jogos do campeonato brasileiro tem crescido, prevendo-se que possa crescer mais, uma vez que a ocupação dos estádios no Brasil ronda apenas os 40%.

Receitas de Bilheteira

  • A média de público nos estádios em 2010 foi de 14.700 adeptos, um decréscimo de 17% em relação a 2009.
  • As receitas totais dos clubes atingiram os R$109,4 milhões (48,5 milhões de Euros), menos 13% em relação a 2009.
  • A média de receita em cada jogo do campeonato foi de R$289 mil (128 mil Euros).
  • No total foram movimentados R$605,9 milhões (269 milhões de Euros) em receitas de bilheteira, mais R$50 milhões (22,2 milhões de Euros) que em 2009.

Receitas de Direitos Televisivos

No total foram movimentados R$476,5 milhões (211,3 milhões de Euros) em direitos de transmissão televisivos

  • R$250 milhões (111 milhões de Euros) em canais abertos.
  • R$50 milhões (22,1 milhões de Euros) em assinaturas ou subscrições.
  • R$170 milhões (75,4 milhões de Euros) em pacotes pay-per-view.
  • R$6,5 milhões (2,8 milhões de Euros) em direitos internacionais.

Fonte: Futebol Finance





Asics investe US$ 3 mi e cria circuito de corridas no Brasil

3 12 2010
Sonho e realização foram alguns dos adjetivos usados pela Asics para classificar o projeto que a marca apresentou em São Paulo na noite da última quarta-feira. A companhia de material esportivo lançou oficialmente o circuito “Golden Four”, conjunto de quatro meias maratonas que passarão por ruas de Belo Horizonte, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo em 2011. O projeto terá investimento inicial de US$ 3 milhões.

A criação do circuito é significativa para a Asics. A marca opera no Brasil há apenas quatro anos, mas nesse período já conseguiu se transformar na sétima principal subsidiária da companhia. Atualmente, a empresa detém 45% do mercado de alto desempenho para corridas de rua no país.

“Essa é a nossa primeira prova própria. O projeto inteiro tem aprovação internacional, e a nossa intenção é transformar isso em um modelo”, relatou Andréa Longhi, gerente de marketing da Asics. A meta da companhia é ter, no primeiro ano, cinco mil corredores no Rio de Janeiro e em São Paulo e três mil em Belo Horizonte e Brasília.

Todas as provas do circuito montado pela Asics serão puras – não terão outras distâncias concomitantes. A marca também anunciou que vai priorizar trajetos planos, que propiciem provas com alta velocidade.

Detalhes do projeto, como traçados e marcas que serão atreladas às provas, ainda não foram definidos. As corridas estão programadas para 26 de junho (Rio de Janeiro), 17 de julho (Belo Horizonte), 7 de agosto (São Paulo) e 6 de novembro (Brasília).

O curioso é que o lançamento do circuito da Asics aconteceu pouco mais de um mês depois de a Olympikus ter sido oficializada como substituta da marca como patrocinadora da Maratona Caixa da Cidade do Rio de Janeiro.

“Mas uma coisa não tem relação com a outra. Nós pensamos na criação desse projeto durante os últimos quatro anos. Foram quatro anos de pesquisa e de investimento. A Maratona do Rio era um dos pontos que pretendíamos usar, mas desejamos toda a sorte do mundo para eles”, afirmou Giovanni Luis Decker, vice-presidente da Asics no Brasil.

GUILHERME COSTA
Da Máquina do Esporte, São Paulo – SP





Teixeira silencia, e Hayatou fala em processar BBC

1 12 2010
REDAÇÃO
Da Máquina do Esporte, São Paulo – SP
Em 30/11/10 as 16:51

Um dia depois de o programa “Panorama”, veiculado pela rede inglesa “BBC”, ter divulgado denúncias envolvendo três membros de alto escalão da diretoria da Fifa, dois dos citados adotaram caminhos diferentes. Enquanto o brasileiro Ricardo Teixeira preferiu o silêncio, o camaronês Issa Hayatou já começou a falar em processar o canal.

Ambos estavam em uma lista de dirigentes que, segundo a “BBC”, receberam propina da falida agência de marketing esportivo ISL/ISMM, parceira da Fifa no fim da década de 1990. No caso de Teixeira, o lucro chegou a US$ 9,5 milhões (R$ 16,37 milhões).

O nome do presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), aliás, já havia aparecido anteriormente em denúncias similares. O paraguaio Nicolás Leoz, mandatário da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) e outro citado pela reportagem, também voltou a conviver com esse tipo de acusação.

Nesta terça-feira, Teixeira chegou em silêncio a Zurique, na Suíça. Ele viajou à cidade para acompanhar a eleição dos países que receberão a Copa do Mundo de futebol em 2018 e 2022 – o brasileiro é um dos votantes, e o anúncio será realizado na próxima quinta.

A postura foi diferente do comportamento de Hayatou. O presidente da Confederação Africana de Futebol (CAF) explicou que o dinheiro que recebeu da ISL no relatório mostrado pela reportagem inglesa fazia parte de um aporte à festa de aniversário da entidade continental.

Segundo Hayatou, o patrocínio da ISL foi registrado no caixa da CAF na época e passou por auditoria posteriormente. “Esse dinheiro não era para mim, e eu tenho como provar isso. Tenho uma reunião marcada com os meus advogados, e nós definiremos então o que iremos buscar nos tribunais”, disse o dirigente.

Pergunta do consultor: Você acredita que um dos maiores e mais renomados veículos de comunicação do mundo, soltaria essas informações de maneira leviana?





Blackburn Rovers adquirido por empresa Indiana

29 11 2010

A empresa Indiana Venky´s adquiriu a equipa Inglesa da Premier League Blackburn Rovers na passada semana. A administração do Blackburn Rovers confirmou a venda de 99,9% das acções do Fundo Jack Walker que detêm o capital do clube à Venky´s London Limited, por £23 milhões (cerca de 27 milhões de Euros).

A Venky´s é segundo a Forbes a 67ª melhor pequena empresa a nível global com lucros em 2009/10 superiores a 88 milhões de Euros. Com a aquisição o Blackburn Rovers pela empresa Indiana, 50% dos clubes da Premier League são agora detidos por entidades ou empresas estrangeiras.

No total os números do negócio chegam aos 50 milhões de euros, uma vez que a família Rao (proprietária da Venky´s) assumirá também a dívida do clube cifrada em cerca de 23,5 milhões de Euros. No entanto logo após a aquisição disponibilizou já cerca de 9,5 milhões de Euros para reforçar a equipa em Janeiro e promete mudar o nome do estádio através da venda dos direitos de naming.

Fonte: Futebol Finance





Palestra em Bauru! Não percam!

25 10 2010